Número total de visualizações de página

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

Projecto

Projecto (ét)

Do latim projectus - us - acção de se estender.

S.m.

O que planeamos fazer; desígnio, tenção, plano, empresa, cometimento.


Projectar (ét) - CONJUGAR
Do latim projecto - are - lançar para a frente.

V.tr.

1. Atirar à distância; lançar de si = ARREMESSAR, ARROJAR

2. Estender, cobrir com, fazer incidir.

3. Ter em projecto; fazer tenção de = PLANEAR.

(...)

6. Estender-se, prolongar-se.

quinta-feira, 11 de novembro de 2010

Conteúdos Culturais Subjectivados

A segunda proposição diz respeito aos conteúdos culturais subjectivados. O professor deve pensar e propor aos seus alunos conhecimentos interligados, conhecimentos complexos, que eduquem para a vida. Conhecimento complexo não significa aquele complexo que complica, sinônimo de difícil, de inalcançável, inantingível. O complexo na contemporaneidade deve ser pensado/visto como um fenômeno possível, porém que exige de nós esforço nas reflexões, nas relações cognitivas, evitando o senso comum, o pensamento simplista, reducionista.

Conteúdos subjectivados não significam dizer o que o autor disse, mas, ampliar este campo de visão. O que eu digo do que o autor disse? Qual é a minha opinião sobre isso? Auferir significado ao conteúdo trabalhado, ampliar o campo de visão, dialogar com o autor - processo de subjectivação. Como este conteúdo me afeta? O que ele me diz? Como me toca?

Qualquer conteúdo é válido, assim como todas as entradas são boas, o importante é que haja múltiplas saídas.

Estamos falando do desejo como processo de produção. E o desejo é sempre revolucionário porque demanda sempre mais conexão, mais agenciamento. O desejo, ou o afeto, o devir dos corpos, afetar e ser afetado.

A subjectivação é o processo, o modo singular como cada um produz a flexão, a curvatura, ou a dobra de um determinado conteúdo.

Marilda Oliveira de Oliveira

Ideia de Rede - Cartografia

A primeira proposição diz respeito a idéia de rede, é a idéia de interdependência enquanto seres humanos, idéia de aldeia global. Não criamos nada sozinhos e dependemos dos outros para existir. Se levarmos este pensamento para o campo escolar, o conceito se materializa, pois ninguém faz educação na solidão. Assim como não existe nunca um único caminho, existem sempre várias possibilidades, várias entradas, e várias saídas, e somos nós quem vai fazer a trilha. A idéia de rede é oriunda da topologia. O importante da rede são os pontos de conexão, quando os fios se prendem, quando se amarram, ou seja, o nó. A rede não tem forma, nem início, nem fim, ela é definida pelas suas conexões, por seus pontos de convergência e de bifurcação, capaz de crescer por todos os lados e em todas as direções. A rede é sempre aberta, vazada.

Marilda Oliveira de Oliveira

quarta-feira, 10 de novembro de 2010

ArtLab.21 Tapeçaria Contemporânea - Museu da Tapeçaria de Portalegre - Guy Fino

Mais algumas imagens dos trabalhos expostos pelos alunos.

ARTELAB.21 Tapeçaria Contemporânea

Exposição dos alunos de tapeçaria da Faculdade de Belas-Artes, que teve lugar no Museu da Tapeçaria Guy Fino, em Portalegre, de Julho a Outubro deste ano.

(Carreguem na imagem para aceder a algumas fotos da exposição.)


terça-feira, 9 de novembro de 2010

Conceito: Transformação

Do lat. transformatióne-, «id.»

1.ato ou efeito de transformar;

2.alteração do estado normal; modificação;

3.mudança de forma; metamorfose;

4.processo gradativo de mudança de estado ou condição; evolução.

http://www.infopedia.pt

Conceito: Rutura

Do lat. ruptúra-, «id.»

1.ato ou efeito de romper; separação brusca de um todo; fratura; rotura

2.buraco

3.

interrupção

4.

corte de relações
;
rompimento